REVIEW – 1 ano morando na Alemanha

Marcelo_camilaAmigos,

Esta semana (05/Dez) celebrei 1 ano de mudança para Alemanha, assim como fiz há um ano atrás quando mudei para Berlin, desta vez vou fazer um review de 1 ano.

Quero começar este review respondendo uma frequente questão que vêm sendo abordada.

Você pensa em voltar para o Brasil?
R: SIM… pretendo voltar para o Brazil em uma férias de verão para rever os familiares e amigos e logo em seguida voltar para a Alemanha. 🙂
Pois é, acostumar-se com coisa boa é fácil, isto não quer dizer que não goste de meu país, Estado, Cidade… apenas quero dizer que me sinto infinitamente mais respeitado como pagador de imposto aqui em Berlin. Vejo o retorno de cada centavo que recolho como imposto.

Não vou extender muito nesta resposta para não cair em assunto político. A grande maioria que deixa o Brasil tem um motivador político por trás, o que certamente é muito ruim para nosso país que perde anualmente grandes engenheiros, médicos, pesquisadores etc…

Dificuldades neste 1 ano.
Nem tudo são flores, o fato de morar em um país de 1º mundo, não significa que sua vida funcionará sem problemas ou burocracia. Pelo menos aqui em Berlin a burocracia é até maior que o Brasil em alguns setores. Por exemplo, para abrir uma conta bancária eu recebi 13 cartas!!! e uma delas era uma carta informando que eu ia receber uma carta :).

Além da burocracia em alguns setores, outro ponto complicado na minha visão, para nós brasileiros, é o clima. Quando você pega o primeiro inverno na Europa você nota que no Brasil não temos inverno 🙂 , aliás quando disse para um colega de trabalho russo que em média o inverno em São Paulo atinge em média 12º,ele me olhou com espanto e perguntou:
_ Isto é o inverno???

Então, ele me explicou que na cidade dele, quando fazia -30º, as crianças (<12 anos) eram dispensadas de ir para escola.
Sei que usei um exemplo extremo da Russia, mas o sentimento de diferença de inverno não fica distante, pois as nossas roupas de inverno do Brasil não servem para cá. Compramos jaquetas com descrição que suportam -xx graus, vento, chuva, neve etc.,  mas o inverno dura cerca de 3 meses, e neste período notamos o solstício (lembra que sua professora explicou sobre o solstício e equinócio?). Neste período temos poucas horas de luz solar, em média a luz “liga” por volta das 9:00 a.m. e “desliga” por volta das 15:00 p.m.

Um terceiro ponto que vi como dificuldade neste primeiro ano, é a língua. O alemão é uma língua “criptografada” :), e quando você aprende a falar, na verdade, você só pega a chave de decriptação :).
Estou estudando alemão há 1 mês, e existem alguns sons que pronunciamos que se assemelham a um som de um ronco 🙂 , o que na língua portuguesa não existe nada parecido. Isto é uma dificuldade que tenho para falar corretamente.

E finalmente, mas não menos importante, saudades da família. Em festividades como: Natal e Ano Novo o coração fica bem apertado. Nos falamos via Skype, etc., mas não é a mesma coisa que fazer um churrasco para celebrar um aniversário.

As alegrias neste 1 ano.
Assim como temos o solstício no inverno, temos o equinócio no verão, e ai eu entendi o porquê todo mundo ama o verão Europeu. Ao contrário do solstício a luz “liga” por volta das 4:00 a.m. e “desliga” por volta das 11:00 p.m. Me lembro quando vim para Europa no verão pela primeira vez em 2012, fiquei andando o dia inteiro com minha esposa no primeiro dia de férias. Durante o sol do meio dia, eu imaginava que estávamos às 2 p.m. no máximo, no entanto quando olhei o relógio já era 9 p.m. !! 🙂
O Verão Europeu é realmente bonito, se você tem planos de vir para Europa, recomendo o verão ou a primavera.

Outro ponto positivo neste 1º ano, foram as viagens. Acredito que neste 1º ano viajei mais do que os meus 10 anos de casados 🙂 e o melhor gastei 10% das viagens que fiz nos 10 anos de casados :), isto porque, aqui temos as companhias aéreas “low cost”, em que podemos voar para outro país pagando aproximadamente 20 Euros (um casal de amigos comprou passagens por 6 Euros na Black Friday), e fora os voos baratos, viajei de carro, ônibus e trem, e cada um mais legal que o outro,  pois, pude desfrutar das belas paisagens, que costumo chamar de “paisagens do Windows”

Review do emprego.
Como postei no artigo de como foi o meu processo de mudança, a cultura de empregado e empregador é bem diferente aqui na Alemanha, e eu trabalho para uma empresa americana com chefe americano, então seguimos a cultura americana e alemã em alguns aspectos. O ponto mais legal (e realmente gostei disto) é o respeito ao horário, se você tem uma reunião as 10 a.m. às 9:59 a.m. todos estarão na porta da sala de reunião e às 10:00 a.m. a reunião inicia. Infelizmente no Brasil nossa cultura não respeita muito horários e agendas :(.
Existem muitas oportunidades de emprego aqui na Europa. Recebo vária propostas mensais de oportunidade de emprego, mas informo que estou bem na minha empresa e não tenho intenção de mudar agora e por agradeço a oportunidade. O recruiter, geralmente me retorna pedindo indicações. Muitas oportunidades de emprego existem, porém para isso, o candidato precisa estar preparado (Inglês e Universidade já é um grande começo).

Conclusão
Este artigo ficou maior do que eu imaginava e tem alguns pontos que queria falar mas decidi deixar para um outro momento, como exemplo, cervejas e comidas, caso o contrário, eu deveria, ao invés de um artigo, escrever um livro 🙂 . Se quiserem mais detalhes, ficarei contente em receber sua mensagem e compartilhar um pouco de minha experiência.
Bom, no geral, adotei a Alemanha  como lar, e estou muito feliz com a decisão até agora. Não tenho intenções em voltar para o BR, por enquanto, minha meta para 2019 é participar o máximo de SQLSaturdays da Europa possíveis e aproveitar o final de semana em cada país. Uma grande diferença que notei entre os Europeus e os Brasileiros é a forma como gastam o dinheiro. O brasileiro é bem parecido com o americano, trabalha duro para conseguir comprar uma casa bacana, carro bacana, roupa bacana etc., ou seja, bens materiais, já o Europeu, no geral, prioriza a qualidade de vida, eles têm onde morar, tem um carro,  mas priorizam o lazer, como viagens, do que bens materiais.

Att.
Marcelo Fernandes

 

Anúncios